Proposta de Resolução 1 do Tópico 2

Proposta de Resolução Tópico 2

Considerando a vontade dos países da África e do Oriente Médio de receberem auxílio e, dos países ocidentais, de colaborarem com o mesmo convém.

1 Recomenda-se a intervenção da OMS em países os quais a circuncisão feminina é legalizada.

  • Envio de auxílio médico para que a integridade física das mulheres e crianças seja preservada, através de:

1.1.1 Materiais cirúrgicos.

1.1.2 Profissionais especializados para fazer um acompanhamento psicológico pré o pós operatório de modo a evitar traumas.

1.1.3 Auxilio médico pré e pós operatório para que a cirurgia não seja prejudicial a saúde das mulheres.

1.1.4 Auxílio especializante (ensino de métodos cirúrgicos e conscientização do princípio da neutralidade médica) aos curandeiros, líderes religiosos que são os aplicadores da cirurgia, de tal forma que eles saibam como atuar durante o procedimento.

 

 

2 Recomenda-se a intervenção da UNICEF, UNFPA e UNESCO em alguns países africanos e orientais para que haja campanhas de conscientização da população em relação a circuncisão.

2.2 A UNFPA trabalhará com toda a população em :

2.2.1 Mulheres que farão a cirurgia, conscientizando-as sobre as consequências e possíveis complicações.

2.2.2 Famílias e demais interessados, para disseminar a consciência para os demais âmbitos das comunidades.

2.2.3 Campos artísticos, para que haja uma conscientização da população pelo meio cultural e midiático.

2.2.3.1 Esse será feito através de filmes que retratem o empoderamento feminino, além de peças de teatro em praças públicas as quais abrangerão o tema em questão.

2.2.3.2 O cinema nigeriano será o principal meio de difusão das manifestações culturais.

 

2.3 Aconselha que a UNESCO realize campanhas de conscientização a respeito do significado social da circuncisão, trabalhando juntamente com ONGs locais. Desse modo, será gerado um maior alcance e menor interferência exterior no que tange a soberania nacional ou autodeterminação dos povos.

2.3.1 Encoraja que as Organizações Internacionais também sejam convidadas a participarem dos projetos, tendo em vista o poder de alcance das mesmas.

3 Estimula que a República do Quênia, conhecida por sua técnica de Ritual de Passagem Alternativo, disponibilize profissionais familiarizados com o projeto para serem enviados aos demais países nos quais há a circuncisão. Dessa forma, atuarão como mentores de projetos de disseminação de novos e eficazes métodos de marco na transformação das mulheres.

4 Aconselha que o ONU MULHERES envie representantes do projeto ElesporElas aos consulados dos países focais em que há a circuncisão como prática cultural, no intuito de convocar líderes mulheres locais.

4.1 As líderes regionais serão instruídas a realizarem rodas de conversas, debates e atividades culturais que disseminem os ideais do projeto supracitado e visem o empoderamento feminino, além da valorização da figura das mulheres e das crianças.

4.2 Estimula que as conferências sejam, preferencialmente, voltadas para líderes de tribos com significativa influência regional.

4.3 As reuniões devem ocorrer, majoritariamente, nas residências e tribos.

 

  1. Reitera que o CDH será responsável pela fiscalização de todas as medidas expressas neste documento.

5.1 Compromete-se em realizar reuniões periódicas para verificar a eficácia dos termos aqui propostos.

 

Signatários: UNFPA , Eslovênia, Venezuela, Georgia, Polônia, Colômbia, Indonésia, Filipinas, Costa do Marfim , Africa do Sul, Peru, Etiópia , Iêmem, Cuba, Iraque, Hungria, Brasil, UNICEF, Suíça.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s