CICATRIZES DE UMA GUERRA

BBC Brasil, 2017. Disponível em: http://www.bbc.com/portuguese/internacional-39638050.

112

A Guerra do Kosovo está sendo marcada por diversos tipos de violência que resultam em milhares de mortos e afetados físicos e psicologicamente. É de conhecimento geral que essa guerra foi e está sendo marcada por campos de trabalhos forçados e campos de extermínio e de limpeza étnica, dentre os quais ocorrem, também, a presença de campos de estupro, os quais infelizmente são comuns em áreas militares no período de guerras.

Esse último tipo de violência citado acima já deixou marcas em milhares de pessoas (em sua maioria, mulheres) na guerra da Bósnia que ocorreu entre os anos de 1992 e 1995 e trás até hoje cicatrizes permanentes e lutas por um maior reconhecimento por parte dessas mulheres.

O número não se sabe exatamente, mas calcula-se que aproximadamente entre 20 e 50 mil mulheres sofreram abusos por militares na Guerra do Bósnia. A quantidade é incerta pelo motivo de que muitas até atualmente não tiveram o apoio moral e social suficiente para denunciar esse crime de guerra.

As marcas são permanentes e a sociedade patriarcal e conservadora de Kosovo não é um ambiente favorável para que haja esse tipo de violência. É de extrema importância que esforços sejam feitos em prol de ajudar de alguma forma essas mulheres abusadas na guerra, pois se ocorrer como foi durante a guerra da Bósnia, anterior à de Kosovo, haverá muito prejuízo e cicatrizes permanentes na vida, no corpo, e na mente dessas pessoas.

Infelizmente, até hoje as vítimas dos campos de estupro da Guerra da Bósnia são marginalizadas e dificilmente adquirem trabalhos na sociedade. Muitas das vítimas negam as agressões devido ao medo de serem rejeitadas pela sociedade e pela família, ou perderem seus empregos e até serem malvistas e reprimidas pelos maridos.

É necessário que haja uma maior fiscalização na região de Kosovo para que incidentes como os que foram relatados na guerra da Bósnia sejam evitados em maiores proporções. É preciso que ajudas e apoios a possíveis sobreviventes comecem a ser feitos, além de se criar um programa de pensão estatal justamente para ajudar as mulheres que virem a ser afetadas pela guerra.

Após esta guerra, ainda haverá muito a se fazer pela luta por maiores direitos e igualdade de gênero entre as mulheres kosovares, especialmente as que sofrem em situações de abusos físicos e psicológicos.

Texto por Marina D’avila Gontijo

 

REFERÊNCIA

 

HUGHES, S. Vítimas de estupro na Guerra da Bósnia perdem esperanças. BBC Brasil, 2014. Disponível em: < http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2014/04/140331_bosnia_estupros_lk >. Acesso em: 10 out. 2017.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s