A importância da política de valorização da história afro-brasileira nas escolas do Brasil

Durante os séculos XVI e XIX, 4,4 milhões de africanos cruzaram o Oceano Atlântico, contra a sua vontade, em direção ao Brasil. Essas pessoas tiveram um papel importantíssimo na construção do nosso país. Por isso, a cultura, as tradições e a trajetória desse povo, compõem um objeto de estudo de extrema relevância para todas as crianças e jovens. (SOARES, s/d).

O tráfico transatlântico determinou o presente do Brasil. A população vinda da África criou  aqui raízes e gerou descendentes. Hoje, cerca de 50,7% da população brasileira se declara negra ou mestiça, tornando os afro-brasileiros a maioria no país pela primeira vez na história. (NEGROS E MESTIÇOS…, 2011).

‘’A relevância do estudo de temas decorrentes da história e cultura afro-brasileira não se restringe à população negra, ao contrário, diz respeito a todos os brasileiros, uma vez que devem educar-se enquanto cidadãos atuantes no seio de uma sociedade multicultural e pluriétnica, capazes de construir uma nação democrática.’’ (BRITO, 2014, p.14).

Assim, a demanda da comunidade afro-brasileira por valorização e reconhecimento, no que diz respeito à educação, passou a ser apoiada com o surgimento da Lei 10.639/2003. Essa Lei, vai estabelecer:

[…] novas diretrizes curriculares para o estudo da história e cultura afro-brasileira e africana. Por exemplo, os professores devem ressaltar em sala de aula a cultura afro-brasileira como constituinte e formadora da sociedade brasileira, na qual os negros são considerados como sujeitos históricos, valorizando-se, portanto, o pensamento e as ideias de importantes intelectuais negros brasileiros, a cultura (música, culinária, dança) e as religiões de matrizes africanas. (CARVALHO, s/d).

Para haver a superação das desigualdades étnico-raciais, é necessário considerar a diversidade, e ter respeito às diferenças. Por isso, a escola tem um papel fundamental já que é lá que podem se estabelecer medidas para adoção de políticas educacionais e também estratégias que valorizem a diversidade.

É na escola que podemos eliminar o preconceito contra os afrodescendentes. O ensino da historia Afro-brasileira é de extrema importância e traz uma consciência de que todos somos importantes, independentemente da nossa cor da pele, e que isso não te faz ser mais ou menos valorizado. (BRITO, 2014).

 

Amanda Anderson,

Diretora-Assitente da WCAR 2017.

 

Referências:

BRITO, Maria Da Glória Franco. A valorização da cultura africana e afro-brasileira em uma escola da rede pública do estado da Paraíba. 2014. 31 f. Dissertação (Especialização) – Universidade Estadual da Paraíba, Itabaiana, 2014.  Disponível em: <http://dspace.bc.uepb.edu.br/jspui/bitstream/123456789/5808/1/PDF%20-%20Maria%20da%20Glória%20Franco%20de%20Brito.pdf>. Acesso em: 04 set. 2017.

CARVALHO, Leandro. LEI 10.639/03 e o ensino da história e cultura afro-brasileira e africana. UOL, [s.l], [s.d]. Disponível em: <http://educador.brasilescola.uol.com.br/estrategias-ensino/lei-10639-03-ensino-historia-cultura-afro-brasileira-africana.htm>. Acesso em: 04 set. 2017.

Negros e mestiços são maioria no Brasil, diz censo. Opinião e notícia, [s.l], 21 nov. 2011. Disponível em: <http://opiniaoenoticia.com.br/brasil/politica/negros-e-mesticos-sao-maioria-no-brasil-diz-censo/>. Acesso em 04 set. 2017.

SOARES, Wellington. África e Brasil: unidos pela história e pela cultura. Nova Escola, [s.l], [s.d]. Disponível em: <https://novaescola.org.br/arquivo/africa-brasil/>. Acesso em: 04 set. 2017.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s