O FRACASSO DA MANUTENÇÃO DE PAZ DA ONU NA BÓSNIA E HERZEGOVINA

Nem sempre os abusos cometidos por capacetes azuis foram levados ao conhecimento da mídia e do público. Um dos casos, que pode ser considerado, como um dos primeiros a ser mais conhecido foi a missão da Bósnia e Herzegovina (UNMIBH) que durou de 1995 a 2002.

A Bósnia e Herzegovina é uma antiga República da Iugoslávia em que teve a vida do seu povo submetida às questões sociais, econômicas e políticas da Iugoslávia. O país foi afetado pela abolição de instituições muçulmanas, porém após uma mudança de política em 1960 houve uma maior aceitação da religião no país, tanto que em 1971 os muçulmanos eram considerados como a maior parte da população. Nos 20 anos seguintes as populações de sérvios e croatas diminuíram cada vez mais dando espaço para a população muçulmana. Mas de toda forma a população do país era composta de bósnios (muçulmanos da Bósnia), sérvios e croatas.

Na década de 1980 houve um declínio da economia iugoslava, e isso levou a uma grande insatisfação política da população, e assim em 1990 foram realizadas eleições multipartidárias da Eslovênia e na Croácia e quando foram feitas na Bósnia e Herzegovina partidos que representavam as três comunidades ganharam assentos em uma proporção igual a da população. Dessa forma um governo de coalizão foi formado com uma presidência conjunta. Com a desintegração da ex-Iugoslávia em 1991 e 1992 a partir de uma pressão de vários conflitos étnicos, problemas econômicos e os discursos do presidente sérvio Slobodan Milosevic, as divisões da Eslovênia e da Croácia levaram a uma guerra. A partir da independência da Bósnia em 1992 a violência no conflito aumentou ainda mais e desencadeou a uma guerra que durou mais de três anos. Tal conflito se deu pelo fato da Bósnia e Herzegovina ser composta por três grupos étnicos, sendo eles sérvios, croatas e muçulmanos, e os croatas e os sérvios estavam expandindo seu controle territorial através do estado da Bósnia. Com os sérvios sendo apoiados pela Sérvia e pelo exército da Iugoslávia eles controlaram cerca de 70% da Bósnia e Herzegovina. Tal mudança no controle do território desencadeou a uma grande “limpeza” étnica.

Após alguns anos de conflito, os países ocidentais, juntamente com a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) impuseram um cessar-fogo em 1995. Em 11 de outubro de 1995 as lutam no país chegaram ao fim e desde essa data até 20 de dezembro do mesmo ano as Forças de Proteção das Nações Unidas (UNPROFOR) monitoraram o cessar-fogo para que houvesse a liberação das negociações de paz em Dayton, Ohio.

O Acordo de Paz foi assinado em Paris pela Bósnia e Herzegovina, Croácia, Iugoslávia e também por outras partes em 14 de dezembro de 1995. Em dezembro de 1995 a IFOR (“Implementation Force” – Força de implementação foi uma força multinacional liderada pela OTAN na Bósnia e Herzegovina) assumiu e encerrou a missão. Com isso, o Conselho de Segurança resolveu criar a Força-Tarefa internacional de Polícia das Nações Unidas (IPTF) e um escritório civil das Nações Unidas, que ficou conhecido como Missão das Nações Unidas na Bósnia e Herzegovina (UNMIBH).

A UNMIBH teve uma influência no país, porém foi uma das missões em que mais houve casos de abusos de mulheres e crianças dos próprios capacetes azuis. Isso teve uma grande repercussão e fez com que a ONU perdesse um pouco de sua credibilidade.

Tal missão teve uma mulher com um papel muito importante na história. Kathryn Bolkovac era uma policial de Nebraska que foi para a Bósnia trabalhar como pacificadora na missão e acabou descobrindo tráfico de mulheres e abusos por parte de seus próprios colegas. Kathryn se recusou a ficar em silêncio diante de tal barbaridade e acabou sendo demitida. De toda forma, ela conseguiu levar ao público o que ocorreu na missão e não se importou com a repercussão que aquela notícia teria. Esse fato foi tão marcante que foi feito até mesmo um filme contando a história.

Segue o link do nosso post sobre o filme:

https://minionupucmg.wordpress.com/2017/08/03/filme-a-informante-2010/

REFERÊNCIAS

DIU, Nisha Lilia. What the UN Doesn’t Want You to Know. 2012. Disponível em: <http://www.telegraph.co.uk/culture/film/9041974/What-the-UN-Doesnt-Want-You-to-Know.html&gt;. Acesso em: 02 ago. 2017.

LAMPE, John R.. Bosnian conflict: EUROPEAN HISTORY [1992–1995]. 2016. Disponível em: <https://global.britannica.com/event/Bosnian-conflict&gt;. Acesso em: 02 ago. 17.

SLANJANKIC, Azer. Bolkovac: ‘UN tries to cover up peacekeeper sex abuse scandal’. 2016. Disponível em: <http://www.dw.com/en/bolkovac-un-tries-to-cover-up-peacekeeper-sex-abuse-scandal/a-19082815&gt;. Acesso em: 02 ago. 2017.

United Nations. Bosnia and Herzegovina – UNMIBH: Background. 2003. Disponível em: <http://www.un.org/en/peacekeeping/missions/past/unmibh/background.html&gt;. Acesso em: 01 jul. 2017.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s