A evolução dos tipos de navios

Por Nicole Aquino

Originário do navio de linha (navio à vela) do século XVIII, que sofreram diversas transformações, os couraçados eram classificados tanto como navios de linha quanto de navios de batalha. Os primeiros navios couraçados foram construídos com madeira e ferro e seu primeiro exemplar foi o navio La Gloire em 1858.

Couraçados são navios de guerra que têm como características blindagem forte e carregamento de alto calibre e de longo alcance. Geralmente são maiores, mais revestidos e armados que os navios tipo cruzadores e contratorpedeiros. Todavia, com a necessidade de atravessar a blindagem, o calibre das armas foi aumentando cada vez e fez com que sofresse alterações, como o uso de torres rotativas. E a partir de 1872, o aço foi utilizado na construção de novos couraçados tornando-os mais resistentes e mais leves.

Dreadnought_starboard_bow

Baseando-se em um artigo inglês de 1903, que defendia que as embarcações couraçadas deveriam ser armados somente com peças de alto calibre, foi lançado o HMS Dreadnought, em 1906. E esse navio foi considerado um marco na história naval, levando os navios subsequentes serem denominados como dreadnought.

Na Primeira Guerra, houve um aumento crescente da calibragem dos dreadnoughts, fazendo- os poderosos símbolos de um poderio naval. Mas com o surgimento dos submarinos e dos aviões, houve um impasse contra os contratorpedeiros, pois eles não podiam ser totalmente blindados, logo era fundamental navios de escolta e armamento antiaéreo.admiral-graf-spee

No período entre as Guerras Mundiais, houve tentativas de aperfeiçoamento na defesa contra torpedos, tornando-os mais resistentes. Mas mesmo com essas mudanças, não impediu que couraçados fossem vistos como obsoletos e de alto custo, já que podiam ser destruídos por meios banais.

E em 1929, a Alemanha criou um novo dreadnoughts, os couraçados de bolso, com o intuito de cumprir o que lhe foi imposto pelo Tratado de Versalhes. O primeiro navio nesse tipo surgiu em 1931, e mesmo com tais limitações, foi utilizada as melhores tecnologias nele. E na Segunda Guerra, a Alemanha continuou a desenvolver grandes couraçados que apresentava calibre superior aos outros navios de guerra existentes.

encouraçado

Com o ataque de Pearl Harbour, a reputação dessas embarcações decaiu drasticamente. Mas mesmo assim, o Japão, na década de 40, fez esforços e construiu os maiores couraçados já existentes na história, o Yamamoto e o Musashi, seu irmão gêmeo.

 

 

 

 

 

  • Cruzadores

            Do século XVII a diante, o termo ”cruzador” ou ”cruzeiro” não se referia a um tipo de navio em si, mas a função que exercia e era relacionado com a operação isolada de navios de guerra. Além disso, função de um ”cruzador” também era associada a um navio de pequeno porte e veloz.  No século XIX, este termo foi utilizado para identificar alguns navios de guerras couraçados e outras embarcações, no qual a maioria apresentava uma propulsão a vapor e à vela. Foram denominados como cruzadores a vapor, e mesmo com o armamento moderno utilizado, não foram páreos para os navios couraçados.cruiser

            Em 1889 o termo cruzador foi oficialmente usado para denominar um tipo de navio da Marinha Real Britânica, quando reclassificou as navios de guerra a vapor em três classes, segundo a tonelagem. E tal classificação durou até 1905.

            Além do cruzador a vapor, houve a criação de diversas outras categorias de cruzadores. Uma delas foi o cruzador protegido, que utilizava aço em sua constituição, fazendo-o mais leve, veloz, e forte. Uma outra categoria foi o cruzador couraçado que apresentava as mesmas funções que o protegido e era também blindado.

Com o surgimento do couraçado Dreadnought (1906), os cruzadores protegidos e couraçados se tornaram ultrapassados. Mas, baseando-se nesse navio, surgiu o cruzador de batalha, que apresentava um arsenal e uma velocidade superior as médias. Contudo não foi muito utilizado, apareceu apenas no início da Primeira Guerra. Além disso, pouco antes da Primeira Guerra, o cruzador protegido foi substituído pelo cruzador ligeiro, que apresentava um poder bélico maior e, portanto poderia se defender melhor de contratorpedeiros e cruzadores rivais. E entre 1920 e 1930, esse navio foi se modernizando cada vez mais ao ponto de existir diversas classes dele.Uss_wisconsin_bb

            Ainda no século XX, houve um cruzador que foi muito utilizado nas Grandes Guerras: os cruzadores auxiliares (navios mercantes e de passageiros utilizados para aumentar a força naval do país).Tinham diversas funções: fazer escoltar, vigiar e atacar e a marinha inimiga e ademais,era usado como navio disfarçado. Os mais conhecidos foram navios alemães.

            Por fim, foi criado o cruzador pesado, para ter mais independência, melhor defesa e armamento. Sua primeira aparição foi 1915, mas foi em 1922, Tratado Naval de Washington, que sua classificação foi efetivada, determinando sua tonelagem e a artilharia.Todavia, na Segunda Guerra, alguns cruzadores apresentaram seu peso superior ao estabelecido para uma proteção mais favorável.

  • Contratorpedeiros

            O navio de guerra do tipo contratorpedeiro tem como característica sua agilidade além de sua fácil navegação. Sua função, inicialmente era a proteção contra embarcações torpedeiras, mas depois foi usado para escoltar grandes navios de uma esquadra, defendendo-os contra submarinos e aeronaves, principalmente.

            Inicialmente, em 1860, com o surgimento dos torpedeiros, navios rápidos e carregados com torpedos, houve a necessidade de criar embarcações mais armadas, como resposta. Dessa forma, a classificação de tais navios foram oficializadas como ”contratorpedeiros”, como o próprio nome indica.

destructor

            Apesar das construções navais anteriores, para serem contratorpedeiros, o primeiro contratorpedeiro oficial construído foi Destructor (1886), pertencente a Marinha Espanhola. Esse navio apresentou características, como dimensão e capacidade, que exerceram influencia no desenvolvimento desse tipo de navio.

            Na transição para o século XX, este tipo de embarcação foi se desenvolvendo cada vez mais, tanto em seu conceito quanto na utilização de novas tecnologias. E no período entre 1890 até 1914, os contratorpedeiros tiveram seu tamanho aumentado e suas função também foram multiplicadas, assim fazendo-o ser mais utilizada. Na Primeira Guerra, estes navios estavam relacionados com as missões de patrulhamento e invasões. Mas com o surgimento do submarino, houve a necessidade de atingir e detectar a frota inimiga de baixo d’agua, o que provocou um acelerado desenvolvimento. Dessa maneira, vários contratorpedeiros saíram em patrulhas antissubmarinas.

            No período entre as duas Grandes Guerras, surgiram diversas inovações e novas construções de contratorpedeiros e  já  na Segunda Guerra, os contratorpedeiros foram carregados com novas armas de combate aéreo e antissubmarinas. Devido a sua multifuncionalidade, foram alvos dos ataques inimigos, fazendo eles um dos navios que mais naufragaram.62565

            Com isto, houve o desenvolvimento de navios mais econômicos (”covetas” ou ”fragatas”) que seriam utilizados em missões menos importantes, como escolta de navios não vitais, e eram especializados no combate antissubmarino. Dessa forma, os contratorpedeiros ficaram encarregados da defesa da esquadra e encarregado em alvos de destaque.

  • Porta-Aviões

            O porta-aviões tem como objetivo ser uma base aérea móvel. Portanto, é acompanhado, em sua maioria, por outras unidades navais para protegê-lo contra forças inimigas, supri-lo das necessidades, como combustível, e para ter também um maior poder de ataque, caso necessário.

            HoshoO Tratado Naval de Washington (1922) foi importante para o surgimento concreto dos porta-aviões, pois gerou uma regulamentação para os Estados poderosos, como EUA e Japão, acerca da carga e da tonelagem dos navios de guerra. E isso levou a construção e a conversão de navios para esse tipo. A partir disso, o primeiro navio considerado como porta-aviões foi o Hosho, pertencente ao Japão, finalizado em 1922. Contudo, no fim da década de 20, o navio japonês foi ultrapassado por modelos mais avançados, mas não deixou de ser utilizado pela Marinha Imperial Japonesa. 

maxresdefault

                No período da Segunda Guerra Mundial, os porta-aviões foram atores de destaque. Além disso, durante a Guerra do Pacífico, os porta-aviões tiveram um papel importante, como exemplificado no caso do bombardeio de Pearl Harbor, em que se foi utilizado tais navios para realizar o ataque contra os navios inimigos. Logo, isso fez com que se tornasse centro do poder naval.

  • Submarinos

            O submarino é um navio imersível que teve sua primeira aparição na Primeira Guerra, onde foi amplamente utilizado. E essas embarcações apresentam uma diversificada série de tamanhos e funções, como a exploração.

            O submarino militar é muito utilizado pela marinha, pois sua localização é difícil de ser detectada e não é fácil de ser destruído quando está atuando. Ele pode ser identificado principalmente através do som que produz, logo é crucial que opere de maneira mais silenciosa possível.

           2317 Os primeiros submarinos tiveram seus cascos baseados no formato de uma baleia, chamando-os assim de casco de lágrima. Apresentavam diversas limitações,  como uma velocidade média baixa, logo não operavam como muita efetividade.   

            Mas foi durante a Segunda Guerra que houve um desenvolvimento tecnológico que permitiu os navios imersíveis procedessem por mais tempo e com mais agilidade em suas missões. Além disso, ficavam a maior parte do tempo submersos, para que não fossem notados pelos inimigos. Um exemplar foi o U-209 tipo VIIC, submarino da Alemanha Nazista.

  • Caça-Minas

            As minas começaram a ser utilizadas em batalhas navais a partir do final do século XIX. Desse modo foram criados os navios de guerra de minas que são classificados em três tipos, segundo suas funções.

            Minesweeper_cutting_loose_moored_mines_diagram_1952O lança-minas tem como objetivo colocar as minas tanto de maneira isolada quanto de forma que forme um campo de minas. Já a caça-minas é especializado no reconhecimento (localização) e diferenciação de minas. Por último, o navio varredor é usado quanto se tem o intuito de desativar e recolher as minas. Todavia, muitos destes navios auxiliares exercem todas as funções (lança, caça e  retira/inativa as minas). Ou seja, sendo não necessário a particularização de navios com base em nas utilidades para realizar tais finalidades.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s