A disseminação de conhecimento a respeito da Mutilação Genital Feminina

                                                                                                       Júlia Mendes Martins dos Santos

                                                                                                               Diretora-Assistente

   A Mutilação Genital Feminina (MGF), apesar de ser uma prática recorrente principalmente na África e no Oriente Médio, é um problema pouco conhecido, principalmente na Europa e nos Estados Unidos e isso torna o seu combate ainda mais difícil. É nesse cenário que as celebridades e modelos têm extrema importância na disseminação de informações a respeito da MGF.

     Em 2015, Blake Lively, atriz norte-americana fez uma postagem em seu Instagram com a foto de Jaha Dukureh, uma sobrevivente da MGF, a fim de informar seus seguidores sobre a existência dessa prática nos Estados Unidos e a necessidade do combate. Reese Witherspoon, atriz e cineasta norte americana, é uma ativista comprometida com o fim da violência contra as mulheres. Em 2009, Witherspoon ajudou a lançar a campanha “Quatro Maneiras de Falar”, contra a violência doméstica, além de pedir ao governo do Reino Unido que faça mais para prevenir a violência contra as mulheres. Além delas, a supermodelo Waris Dirie, que foi submetida à mutilação genital feminina aos cinco anos de idade, fez uma campanha para o fim da dessa prática. Apoiando o lançamento de um filme destacando a situação das jovens que enfrentam a circuncisão no Reino Unido, ela apoiou o projeto junto com a Polícia Metropolitana em Londres para destacar a prática potencialmente fatal da mutilação genital feminina. Waris firma que: “as mutilações genitais femininas visam pequenas meninas, bebês – anjos frágeis que são desamparados, que não podem lutar … É um crime contra uma criança, um crime contra a humanidade. É abuso. É absolutamente criminoso e temos que detê-lo.” (YAU,2011)

        Além das celebridades, as campanhas promovidas por ONG’s e governos também são fundamentais para conscientizar a sociedade a respeito do problema. Em 2016, foi lançada no aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa a campanha “Direito a Viver sem Mutilação Genital Feminina”. Ela tinha como principal objetivo informar as conseqüências e riscos decorrentes da MGF. Esta iniciativa, que durou três meses, foi resultado de uma iniciativa conjunta do Governo de Lisboa, em parceria com várias instituições públicas e privadas, com a Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género (CIG), tendo o III Programa de Ação para Prevenção e Eliminação da Mutilação Genital Feminina 2014-2017 como enquadramento. (CIG, 2016).

      Outra campanha importante foi a elaborada pela ActionAid UK entitulada “Brutal Cut” (corte brutal), que teve como objetivo aumentar a conscientização sobre os perigos da MGF e ajudar as vítimas desse procedimento. Por último, é importante ressaltar a “Open Your Eyes” (abra seus olhos), campanha promovida pela organização alemã Terre Des Femmes. Ela teve como objetivo fazer com que as pessoas abram seus olhos e vejam os horrores causados pela mutilação genital feminina. (LITTLE BLACK BLOCK, 2017).

    Portanto, diante do exposto, é possível ver a a importância da presença de celebridades e campanhas de conscientização acerca da mutilação genital feminina. Essa prática, comum porém pouco conhecida torna-se mais visível a partir da exposição por pessoas influentes no meio midiático. Dessa maneira, lidar com a situação e encontrar possíveis soluções para que os direitos humanos de mulheres e crianças sejam violados acaba ficando mais palpável e possível de ser realizado.

Bibliografia

MARIE CLAIRE. Blake Lively Is Calling Attention to a Terrifying Truth: Female Genital Mutilation Occurs in America, Too.Disponível em: < http://www.marieclaire.com/celebrity/news/a16755/blake-lively-fgm-instagram/&gt; Acesso em: 18 jun. 2017.

COMISSÃO PARA CIDADANIA E IGUALDADE DE GÊNERO. Direito a Viver sem Mutilação Genital Feminina. Disponível em: < https://www.cig.gov.pt/2016/07/direito-a-viver-sem-mutilacao-genital-feminina-nova-campanha/&gt; Acesso em: 19 jun. 2017.

THE PIXEL PROJECT’S “16 FOR 16” CAMPAIGN . 16 Celebrities Who Support The Cause to End Violence Against Women. Disponível em: < http://16days.thepixelproject.net/16-celebrities-supporting-and-fighting-for-the-cause-to-end-violence-against-women/&gt; Acesso em: 18 jun. 2017.

LADY FREETHINKER. Celebrities Disrupt the Internet to Protest ‘Genital Cutting Season’. Disponível em: < https://ladyfreethinker.org/celebrities-disrupt-the-internet-to-protest-genital-cutting-season/&gt; Acesso em: 19 jun. 2017.

HYPENESS. Poderosa, criativa e necessária campanha alerta para o drama da mutilação genital feminina Disponível em: < http://www.hypeness.com.br/2017/06/poderosa-criativa-e-necessaria-campanha-alerta-para-o-drama-da-mutilacao-genital-feminina/&gt; Acesso em: 18 jun. 2017

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s